Cadê a campanha educativa do governo federal?

Campanha do governo federal lançada em março e suspensa pela justiça

Outro dia, resolvi fazer uma coisa que não faço há anos. Se é que já fiz alguma vez na vida. Peguei um bom livro (no caso, As Lágrimas da Girafa) e sentei-me à frente do televisor. Escolhi um canal e lá fiquei. Lendo e espiando de rabo de olho os comerciais. Não, não é por ainda existir no sangue o que sobrou do publicitário que já fui. O meu interesse televisivo era detectar a presença de campanhas educativas sobre a pandemia. Em toda uma tarde, não encontrei nenhuma. À noite, apareceram dois comerciais de empresas privadas com informações educativas sobre o coronavírus.

O que eu estava mesmo querendo saber é se o governo federal estava ou não veiculando uma campanha educativa sobre a pandemia. Não vi. E olha que o governo federal sempre foi pródigo em campanhas educativas. Quem não se lembra do Zé Gotinha, personagem criado pelo artista plástico Darlan Rosa? Mas, e agora com a pandemia do coronavírus?

Fui pesquisar no site do Ministério da Saúde e lá encontrei várias peças de uma campanha educativa sobre o coronavírus. Mas, cadê? Só se o governo está veiculando em seus próprios canais, que poucos acessam. A Empresa Brasil de Comunicação tem 7 emissoras de rádio, um canal de TV e duas agências de notícias. A campanha não deveria estar em todos os canais abertos de TV e em todas as emissoras de rádio e jornais pelo Brasil afora? 

Uma campanha nacional, com as informações necessárias e recomendadas  pela Organização Mundial da Saúde, já deveria estar no ar pelo menos desde 26 de fevereiro. Nesta data, a primeira confirmação da doença entre nós. Ou, na pior das hipóteses, desde o dia 11 de março, quando a OMS caracterizou a doença como pandemia. Naquele dia, eram 118 mil casos em 114 países e mais de 4 mil mortos. 

A veiculação de uma campanha educativa em todos os veículos de comunicação social é imprescindível agora, com os números subindo, e também o será quando chegarmos na tão esperada curva. Quando acontecer o relaxamento das medidas de isolamento, a campanha deverá insistir nos métodos de prevenção e pedir para, quem puder, permanecer em casa. 

O Ministério da Saúde, para piorar ainda mais a situação, resolveu iniciar o processo de  licitação para escolher uma nova agência de publicidade. Muda ministro, muda equipe, muda tudo no momento mais grave que a nação está vivendo. E, a cada mudança, novas orientações, outros planos.

Ao contrário de uma campanha educativa nacional, o que estamos assistindo é uma ação descoordenada, que não só embrutece como deixa a população brasileira totalmente desavisada e desinformada.

Além da falta de uma comunicação honesta, o Brasil vive uma das suas mais graves crises políticas. Entre outras, com um ministro pedindo a prisão dos membros do STF e outro acusando a China de espalhar o vírus. Na soma da balbúrdia, um presidente que defende um remédio sem eficácia comprovada, interfere na Polícia Federal e provoca reuniões públicas em total desacordo com as orientações sanitárias.

Enquanto isso, a maioria dos países tem investido pesado na comunicação, veiculando campanhas de orientação com base na ciência e nas experiências bem sucedidas em outras plagas. Em todo o mundo, presidentes e primeiros-ministros comandam pessoalmente a defesa de seus governados no combate à pandemia. Diariamente, eles promovem coletiva de imprensa para atualizar e orientar as medidas.

Como também sou cidadão canadense, acompanho os esforços do governo e de sua população no combate ao coronavírus. Com um investimento de trinta milhões de dólares, o governo federal lançou uma nova campanha, pedindo o distanciamento social e o cuidado com a higiene. Da mesma forma, algumas regiões do Canadá lançaram suas próprias campanhas. Ontário, cuja capital é Toronto, também acaba de colocar no ar uma nova campanha publicitária, de 10 milhões de dólares, destinada a aumentar a conscientização do público sobre o COVID-19 e manter os moradores informados sobre os últimos desenvolvimentos relacionados com o surto.

Publicado por blogdocondearthur

Publicitário, jornalista e escritor

Um comentário em “Cadê a campanha educativa do governo federal?

  1. Bem lembrado, Arthur, que não há campanha educativa feita pelo Governo Federal. Em compensação, ou para piorar, todo dia o PR consegue pautar a mídia através de ações agressivas, falsas ou provocativas. Segue o exemplo de outro imbecil, talvez ainda maior, que comanda outro país. É uma vergonha e tristeza, ao mesmo tempo, termos isso acontecendo no país no meio dessa pandemia

    Curtir

Deixe uma resposta para Ivan Libanio Vianna Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: